Trabalhadores da Aliança Papéis conquistam atenção do Judiciário

Justiça de Pinda aceitou receber um terceiro plano de mantença das atividades e pediu prazo até amanhã para avaliar

 

Trabalhadores da Aliança Papéis, Jofel e ex-funcionários da Nobrecel reunidos próximo ao anel viário da SP-62, rodovia onde fica o Fórum de Pindamonhangaba

Trabalhadores da Aliança Papéis, Jofel e ex-funcionários da Nobrecel reunidos próximo ao anel viário da SP-62, rodovia onde fica o Fórum de Pindamonhangaba

 

Com intensa mobilização realizada nessa segunda-feira, os trabalhadores da Aliança Papéis conquistaram a atenção do Poder Judiciário de Pindamonhangaba.

Nessa terça-feira, dia 13, reunidos próximo ao anel viário da SP-62, os trabalhadores tiveram a resposta de que a Justiça aceitou receber e avaliar um novo plano apresentado pela direção da Aliança Papéis (APL) para manter as atividades da empresa.

“Já é a terceira tentativa de negociação. A duas propostas anteriores foram rejeitadas e não poderia ter uma terceira. Hoje conseguimos ser ouvidos e apresentar esse terceiro plano, que vai salvar mais de 300 famílias”, disse Lucas Kobbaz, supervisor de manutenção da Aliança Papéis e membro da comissão de trabalhadores formada a partir do protesto.

De acordo com ele, no plano existem garantias para que o funcionamento da empresa seja viável, inclusive absorvendo mão de obra da massa falida da Nobrecel que já está ociosa, pois a Aliança Papéis, assim como a Jofel, depende do funcionamento de alguns setores da Nobrecel. Apenas esses setores da Nobrecel, e não toda a massa falida, é que seriam operados por funcionários da Aliança Papéis, que é o mínimo necessário para não comprometer o funcionário de todo o complexo industrial.

Após avaliação desse plano é que a Justiça irá decidir sobre a possibilidade de retirar o lacre dos portões da Nobrecel. De acordo com Lucas, o prazo pedido pela Justiça é até essa quarta-feira e se não houver acordo, novo protesto irá ocorrer na quinta-feira.

“A gente já está com a água acima da cabeça. A gente não pode esperar mais. Cada dia perdido é prejuízo pra todo mundo”, disse.

Criação de uma comissão de trabalhadores foi conquista do protesto. Na foto: Lucas Kobbaz, Sheila Ferreira (representante da Aliança), Zaqueu Moreira, José Roberto Camargo e Raquel Gatto

Criação de uma comissão de trabalhadores foi conquista do protesto. Na foto: Lucas Kobbaz, Sheila Ferreira (representante da Aliança), Zaqueu Moreira, José Roberto Camargo e Raquel Gatto

 

Comissão. A formação de uma comissão dos trabalhadores também foi uma conquista do protesto. Nessa segunda, um grupo de trabalhadores entrou no Fórum para conversar diretamente com a Juíza, a promotora do processo, e a gestora da recuperação judicial que é síndica da massa falida.

 

Apoio. O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT e o Sindicato dos Papeleiros de Jacareí-CUT estiveram presentes na reunião dos trabalhadores dessa terça-feira, para dar apoio ao movimento.

O vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Romeu Martins, parabenizou os trabalhadores pela mobilização. “Seja de qualquer categoria, a união dos trabalhadores é fundamental. E agora a Justiça também sabe que se a empresa não voltar à atividade, novos protestos irão ocorrer em frente ao Fórum”, disse Romeu.